segunda-feira, 12 de maio de 2008

filosofia não!


não, simplesmente você não poderia
dessa fria maneira entoar a canção

assim, meu amor o amor morreria
muito antes da gente chegar a estação

então, com um pouco de ardor e alegria
veja nos seus os meus olhos senão

lá no fim, bem no fim da magia
vai restar da poesia a contrária visão

e, enfim o cantar ia esbarrar na utopia
de uma voz que abriga uma ébria prisão

por isso, amor, entre o belo e a agonia
deixe o sol dar o tom da peleja-razão

pra que a dor e o clamor dessa triste afasia
não solfegem uma nota enganando a emoção

porque a verdade nem de longe é filosofia
é poesia, amizade, amor e canção


para Pollyanna Assis

8 comentários:

Anônimo disse...

Por enquanto, sem comentários!


Ave, poeta!

srta assis

makely disse...

Essa daqui parece letra de música!
E uma dica, mude a cor do link para os comentários, está preto sobre preto, fica oculto.
Outra coisa, a Regina não atende mais o telefone?
Abraços

Camila disse...

"Porque a verdade nem de longe é filosofia
É poesia, amizade, amor e canção."
Muito lindo!
Parabéns
Beijo

danúbia disse...

bonito realmente e profundamente pollyanistíca...

Usarei sua página para comunicar com a srta assis agora que ficou mas dificil de nos comunicarmos.(sem orkut)

Pollyanna aparece lá no meu blog depois... (não é bom como o próprio mas prometo melhorar, ok!)
bj.

http://dentrodosolhos.blogspot.com/


Marden...
Passargada não sei, não conheço a maneira de vida de seus habitantes. Mas, qualquer lugar atualmente está melhor que "aqui".

Os outros apaguei sim estavam horriveis mas, tenho um montão de outros escritos incluindo contos que estou tomando coragem p/ publicar.

bj. p/ vocês.
ãmu-tés.

marden disse...

Srta. Assis, assim que quiser, sou todo (ou quase) ouvidos!

Bem que você poderia musicá-la pra mim hein, Makely!
Valeu pela dica do link! Ficou bem melhor.
Ué, a Regina disse que vc ligou outro dia pra ela e pediu meu nº, mas não me ligou.
E numa outra vez alguém ligou em seu nome, ela não pode atender e não retornaram. Tô sem saber, uai! O meu nº é 87845903.

Vem pro pé de pomba?! haha

Valeu Camila! bj

Assim sendo, acredito que a srta. Assis deve ter gostado né, Danúbia?
Pode ficar a vontade pra usar o blog, afinal é gratuito! Mas se quiser te passo o email da Polly, assim vocês podem ter mais privacidade.
Quando a coragem aparecer me avisa que passo lá pra ver os contos!
bj

srta assis disse...

Não mesmo, Danúbia!!!


Este aqui está mais para o anti-pollyannísmo!!! Haha


Não comentarei o poema porque, ao contrário da FILOSOFIA, Poesia não se discute... Aprecia-se. Quer dizer, não sou crítica de arte, literata e nem poeta para discutir tal.


No caso deste (efeito de uma discussão que se iniciou a bem pouco tempo) aprecio se NÃO levar em conta o CONTEÚDO - do ponto de vista artístico ou A FALTA DELE - do ponto de vista filosófico.

Sim, comentarei (eu não aguento)!

Temos aqui o resultado de uma conversa mal esclarecida. Ou um mero trabalho conveniente e subversivo... E o que mais podemos esperar da arte?
Não fosse subversiva seria religião!

Abraços à Danúbia e ao sr poeta!

marden disse...

Amém!

srta assis disse...

Que horror!!!

Não sei se o vocábulo "amém" é mau por me remeter à cultura judaico-cristã na qual fui (mal)educada ou se é porque quer dizer "assim seja", o que não convém ao Marden, que é sempre contrário a tudo e a todos...