segunda-feira, 29 de junho de 2009



pela luz do dia
se a vida me levasse
eu ia

quinta-feira, 25 de junho de 2009

terça-feira, 23 de junho de 2009




edith piaf, nos telhados de ouro preto
dançava sem ver que a lua nascia
cheia de graça

sexta-feira, 19 de junho de 2009

terça-feira, 16 de junho de 2009



qualquer coisa nessa vida
dança no vazio em silêncio
que se move ao imaginar
e vem por dentro como fato
ou algo assim como o vagar
de alguma calma que flutua
e vai por cima desse tempo
feito uma música no ar
e é quase um desespero lento
como um querer a naufragar
ou alçar voo no tormento
e não saber como chegar
ao fim de mais esse lamento
em labirinto a desvendar

domingo, 14 de junho de 2009



o que é que se diz
quando a saudade cala a gente?
o que é que se faz
quando o nada está presente?
e pra onde é que se vai
quando é do lado de dentro
que se quer chegar?
como é que se faz?
quando a razão adormece
a solidão aparece
e dá um nó no peito
o que é que se diz?
pra onde é que se vai?
se o caminho que leva
é o mesmo da volta
e se disser, se eu fizer
e se chegar, o que importa?
se a vontade é de dizer adeus

quarta-feira, 3 de junho de 2009

verso alado


prepara tu esqueleto para el aire
Garcia Lorca


se de toda poesia até agora
fui feito ou fiz
e não há obra acabada que exista
se ao gesto-ofício dessa luta vã
o cavalo de verbos do meu verso se atirou
deixo esse acalanto ao vento e alto
em adianto do meu nome inteiro
em parte de um todo que não chegou ao fim
das linhas tortas que provaram ser
de tudo e tudo mais que há
do início ao meio que inventarei
e o sim em si mesmo dessa linha última
do poeta que sempre vai haver aqui, alífero
e vivo por dentro de qualquer palavra