quinta-feira, 24 de março de 2011

terça-feira, 15 de março de 2011



qual medida do homem
o andar de lado, pois que pesa o coração
mais que o andrajo dia
de alforria do domingo?

qual seu pesar
secreta palavra que leva consigo
à guisa de ossos do peito
humana indefensável fortaleza?

qual seu passo
medida ínfima
a compor real caminho
que leva, mundo afora
essa roda louca, esse moinho?

trabalha o homem em si
agora, persegue, prossegue
o peso nos ombros,
sua leveza insustentável
que por dentro arrebenta
batida a batida, uma coragem sem nome

sábado, 5 de março de 2011

não faz mal


é. nem tudo vai bem
mas agora é normal
tem gente na rua, tem riso
e no rosto um aviso
que isso tudo é legal!

não tem lei, não tem lama
muita brahma e a chuva
já não se vê no jornal

bem que o gonzaga falou
"cê merece!", tá dito,
e há tempos que isso é igual

mas hoje é dia, é noite
e você se guardou
esperando essa hora chegar
e agora
tem perna de louça, bloco e batuque
tem festa, confete e cordão
tem madrinha, malandro e o truque
é se perder na multidão

que na quarta a carne enfraquece
mas talvez isso nem seja tão mal
vai, faz mais um samba também

e se amanhã acabar seu carnaval?