terça-feira, 1 de julho de 2008



daqui de fronte o muro
de onde se pode
ler palavras da revolução
num cartaz
rasgado
alguma luz se faz
e o verso assume
de novo a nova face
do imprevisto e some
entre as linhas
mal escritas do sorriso
também novo
do menino que viu o começo
daquela música
comigo



para Lucas Palhares

6 comentários:

Lucas Palhares disse...

Fala poeta. fiquei ate emocionado. e blogando vamos entre as palavras e o tempo. vou colocar este texto no poesiadecoisanenhuma.
amplexos do Palhares

camila disse...

Acho o carinho que você tem pelo Lucas sublime! Entre apelidos inventados, estórias escabrosas e histórias vividas o que percebo é o carinho incodicional entre vocês!
É muito bom ter um amigo!
Beijo
=)

danúbia disse...

=)

Carol Xavier disse...

bonitos versos.

Dani disse...

Olá poeta.
Sou capixaba porem mineira de coração, vivo em Mantena.
Me diga de onde você?

Clara Mazini disse...

As palavras são revolucionárias. Gosto das suas.